Como desenvolver o Português das crianças morando fora do Brasil?

12/09/2019

Nós hoje convidamos Gabriella Teixeira para contar um pouco de sua experiência e conhecimento sobre o desenvolvimento do Português para crianças brasileiras que moram em países estrangeiros!

Você sabia que esse é um grande desafio para muitas famílias brasileiras?

E este tema se aproximou do Bamboleio quando percebemos o número alto de pessoas que moram fora usando nossa plataforma. Afinal, por meio do App as famílias podem ter acesso a muita literatura infantil de qualidade, acessível em qualquer lugar do mundo!

Se você ainda não tem o Bamboleio App, baixe aqui. Os primeiros 14 dias são grátis!

Depois, é só assinar em nosso site!

Então, confira o depoimento de Gabriella, que é mãe e fundou o Cantinho da História na Suécia, um projeto bem legal de fomento à literatura infantil. Depois também temos também uma entrevista (exclusiva!) com Agneta Hessel, professora e especialista em ensino para crianças multilíngues.

 

criancas-bilingues-maes-mundo-afora-1

 

Olá! Sou Gabriella, mãe do Matheus e da Lara e moro em Estocolmo, Suécia há dez anos. Meus filhos crescem aqui, e venho compartilhar com os leitores do Bamboleio como  é possível criar os filhos em duas culturas diferentes sem perder a identidade.

Em 2015, iniciei o projeto Cantinho da História na Suécia, em que conto histórias em português nas bibliotecas públicas de Estocolmo e Uppsala. Sempre procurei participar de novos e interessantes projetos relacionados à língua portuguesa aqui onde moro.

Desde 2018, estudo pedagogia e me divido entre as Universidades de Estocolmo e Malmö. O universo das crianças e o desenvolvimento linguístico da(s) língua(as) materna(s) em crianças bilíngues, trilíngues, multilíngues é algo que vem aguçando minha curiosidade atualmente.

Em 2015, eu comecei a trabalhar em Estocolmo como professora de português como língua materna, mais conhecida como língua de herança. Olha que legal: aqui todas as crianças que possuem uma outra língua materna que não seja o sueco têm direito a uma hora de ensino da sua língua materna nas escolas.

É verdade! E é muito incrível!

Procuro apresentar a língua de maneira descontraída, brincar com a melodia das palavras, instigar reflexões, estimular o pensamento, a brincadeira e a diversão. Ao longo desses anos, aprendi a importância da escolha de bons livros para o conhecimento de diferentes mundos e situações. O projeto passou a significar para os participantes uma oportunidade de interação, troca, de libertar a criatividade e a curiosidade para a língua e tornar o seu aprendizado e desenvolvimento algo leve e natural.

A utilização de literatura infantil e juvenil nas minhas aulas de português sempre existiu. Mas, aqui na Suécia, onde encontrar literatura com um bom conteúdo literário em português para as contações e para minhas aulas? Esse sempre foi meu grande desafio.

Infelizmente, o acesso aos livros e a possibilidade de comprá-los aqui na Suécia são quase nulos. A maior dificuldade é mesmo fazer com que os livros de qualidade cheguem até aqui. Por isso, preciso dar o meu depoimento e destacar a relevância e importância do aplicativo do Bamboleio. Os livros são selecionados com muito cuidado, abrem mil possibilidade de conversas e trocas com as crianças, há uma preocupação com a qualidade literária e com a utilização do digital para estimular a leitura. Eu adotei o aplicativo como ferramenta pedagógica. Uma maneira inteligente de unir a leitura compartilhada, tecnologia, diversão e a magia dos livros.

Vou terminando essa breve história com um carinho para os leitores do blog que vivem fora do Brasil. Trago uma entrevista realizada com minha querida professora da Universidade de Malmö, Agneta Hessel, coordenadora dos cursos de língua materna da Faculdade de Aprendizagem e Sociedade, Departamento de Cultura, Idioma e Mídia.

Aqui temos algumas das respostas para perguntas que todos os pais de filhos bilingues, trilíngues, têm curiosidade de saber e entender.

Boa leitura e uma vida de fantásticas histórias para todos!

 

  1. É suficiente falar português em casa com a criança para manter contato e fluência na herança linguística? Ou é importante colocar a criança em uma escola bilíngue ou em um idioma? Qual a sua opinião sobre isso?


Agneta: O melhor para o desenvolvimento da língua materna das crianças é utilizar a língua em todas as oportunidades, o maior número de vezes possível e em diferentes situações e ambientes. Em casa, a criança tem permissão para ouvir, falar e usar sua língua materna de muitas maneiras e, quanto mais utilizar a língua, melhor para o desenvolvimento da linguagem da criança. Às vezes, as crianças têm línguas diferentes, uma com a mãe e outra com o pai, ou seja, a língua materna e a "língua paterna". Então, é importante que cada um utilize a sua língua na hora de se comunicar com as crianças para que elas tenham a oportunidade de desenvolver os dois idiomas.

Se for possível, sim, é importante a criança utilizar e aprender sua língua em um contexto fora de casa também. A escola possui um idioma acadêmico que geralmente difere do idioma usado em casa, e isso enriquece o vocabulário. Além disso, a criança tem a oportunidade de usar o idioma com várias pessoas, professores e colegas de classe. Se houver uma oportunidade para frequentar uma escola bilíngue, é mesmo o ideal para o desenvolvimento dos idiomas.

 

  1. Como o desenvolvimento da linguagem está ligado à cultura através do ensino de línguas?


Agneta: A linguagem é portadora da cultura; e diferentes línguas fornecem diferentes perspectivas. As palavras podem ter o mesmo significado em diferentes idiomas, mas são interpretadas de maneiras diferentes, dependendo dos diversos aspectos culturais. O ensino de idiomas tem um conteúdo excelente, como, por exemplo, a herança cultural que a criança recebe em momentos de leitura compartilhada, conversas, filmes, músicas. O desenvolvimento da língua anda de mãos dadas com a cultura.

 

  1. Como uma criança se desenvolve na escola quando imersa em mais de uma cultura e idioma?


Agneta: As crianças que usam mais de um idioma têm a oportunidade de viver em diferentes contextos, e também podem fornecer perspectivas novas e diferentes ao ambiente escolar, o que é enriquecedor para todos. O desenvolvimento da linguagem e do conhecimento da criança é fortalecido se for permitido que a criança seja ativamente multilíngue.

 

  1. Que papel a literatura e outros elementos culturais (como música, filmes e outros) têm na manutenção do relacionamento da criança com sua herança linguística?


Agneta: Em toda literatura, música, arte, teatro, há patrimônio cultural. Através de todas essas formas de expressão, a criança recebe um tesouro cultural que fortalece sua identidade, idioma e cultura. São todos elementos essenciais para o desenvolvimento da língua materna.

 

  1. Falar um idioma é algo que aprendemos em casa. Mas, em geral, as habilidades de leitura e escrita são o que aprendemos na escola. Se a criança não frequenta uma escola para ler e escrever em português, o que a família pode fazer em casa para adquirir essas habilidades?


Agneta: Se não houver oportunidades para ensinar a língua materna na escola, como pai ou mãe, pode-se tentar encontrar outras maneiras de a criança usar o idioma fora de casa, por exemplo, em reuniões familiares ou com outros falantes da língua, com leitura compartilhada, contação de histórias, exibição de filmes, teatro, música e grupos para cantar cantigas. Os pais podem ler e escrever junto com as crianças de maneira divertida e descontraída utilizando figuras e jogos simples. É possível pintar quadros, brincar de rimar, fazer leitura de livros infantis, escrever com outras crianças. Todas essas opções fortalecem o idioma. Quanto mais a criança praticar a língua materna, melhor será para o desenvolvimento da linguagem. É importante lembrar que o multilinguismo infantil é diferente. Algumas crianças já usam os dois idiomas quando começam a falar, mas há crianças que entendem tudo na língua materna, mas respondem ao segundo idioma, e crianças que alternam códigos entre os idiomas. Não há certo ou errado. As crianças são diferentes e têm maneiras diferentes de se expressar e de aprender. O mais importante é que os adultos ao redor delas continuem a falar sua língua materna. A linguagem deve ser divertida! Vários idiomas sempre oferecem mais janelas para o mundo e o multilinguismo é uma riqueza que todos nós precisamos cuidar com carinho, tanto na escola quanto em casa. Todas as línguas são uma riqueza!

--

Agneta Hessel é professora de sueco e sueco como segunda língua. Na área de multilinguismo e aprendizagem, é coordenadora do curso de língua materna na Universidade de Malmö, Faculdade de Aprendizagem e Sociedade do Departamento de Cultura, Idioma e Mídia. Também trabalhou na Universidade de Lund desde 1986. Agneta ministra cursos para professores de línguas nativas sobre multilinguismo e aprendizagem, tem cursos de formação de professores no bilinguismo e ensinou aulas bilíngues de sueco, espanhol e sueco como segunda língua no ensino infantil e para adultos, além de ter participado do grupo de trabalho que redigiu um currículo escolar da língua materna para o currículo escolar sueco. 

portugues-lingua-heranca

Gabriella Teixeira

Sou brasileira, nasci em São Paulo. Vivo em Estocolmo e trabalho como professora de português como língua materna no município de Botkyrka e escolas particulares de Estocolmo. Sou formada em Comunicação Social e, atualmente, estudo pedagogia, com ênfase no ensino de língua materna. Tenho um grande amor pela língua portuguesa. Há muito tempo eu me encantei com a contação de histórias e tenho um projeto de contação de histórias em português nas bibliotecas de Estocolmo. No meu Cantinho da História na Suécia, compartilho histórias incríveis, diversas obras da literatura infantojuvenil de autores do mundo todo.

gabriella-teixeira-cantinho-de-historias-suecia